50´s X ligação moderna em uma Les Paul

Uma Gibson Les Paul, SG, ES-335 e muitas outras guitarras utilizam uma configuração de dois captadores/quatro potenciômetros: dois controles de volume dedicados e dois controles de tone dedicados.

As possibilidades de timbre são quase infinitas. Se você sabe como fazer a ligação da parte elétrica de forma correta, e muitos de nós já tentaram diversas maneiras de ligar os captadores aos potenciômetros ao longo dos anos.

Vamos dar uma olhada mais atenta em algumas maneiras que você pode fazer a ligação elétrica de sua guitarra de quatro potenciômetros.

Antes de mergulhamos nas possibilidades de ligação, vamos recapitular rapidamente o que é um potenciômetro e como ele funciona. Estruturalmente falando, um potenciômetro tem um grande resistor dentro da carcaça com um começo e um fim (que nós vemos como os terminais exteriores da carcaça do pote).

Essa parte não se mexe quando você girar o botão. O que se mexe é uma ponte, que é conectada ao terminal do meio. Ele se move sobre o resistor e atua como uma ponte entre o sinal e o aterramento. De um lado o sinal é totalmente aterrado, criando um curto-circuito e consequentemente, silêncio.

Do outro lado, ele liga o sinal diretamente à saída do potenciômetro sem qualquer aterramento. Qualquer posição entre estes dois pontos permite que uma parte do sinal seja aterrado, em essência, reduzindo o volume.

A forma ‘tradicional’ de fazer as coisas é ligar o sinal no terminal de fora, e usando o terminal do meio você pode discar quanto de volume que você quer. Neste caso, o potenciômetro funciona como um divisor de potência. Mas isso pode ser feito de outra forma. Se você ligar o captador ao terminal do meio, a quantidade de carga por trás do input é o que provoca a diminuição do volume quando você rola para baixo seu volume.

Esta ligação é chamada de “independent volume mod”, porque na posição do meio você pode discar o timbre exato que você quer sem sacrificar o volume. Em teoria isto pode parecer legal, mas uma enorme quantidade de seu high-end (agudos) será sacrificado.

Les Paul : ligaçao 50's X moderna - JPM Guitar Shop - Brasil

A ligação estilo anos 50: esse esquema em particular foca na relação entre os potenciômetros de volume e tone (estamos aqui falando de como os dois estão conectados). Tal como acontece com o potenciômetro de volume, existem duas maneiras de fazer a ligação do potenciômetro de tone.

Les Paul : ligaçao 50's X moderna - JPM Guitar Shop - Brasil

No esquema moderno liga-se o potenciômetro de tone no terminal externo do potenciômetro de volume. Na ligação anos 50 o potenciometro de tone é ligado no terminal central do potenciômetro de volume.

Qual a melhor maneira?

Isso depende da guitarra, captadores e estilo de tocar. A versão moderna manterá o volume global melhor quando você rolar para baixo o volume. Porém às custas de perder um pouco do high-end. Se você tem um captador muito brilhante ou estridente isso pode parecer uma boa idéia.

Por outro lado, a ligação anos 50 mantém a quantidade de agudos, porém perde um pouco do volume.

No final das contas trata-se de uma questão de gosto pessoal, então seria interessante você testar os dois tipos. Eu particularmente prefiro a ligação estilo anos 50. As frequencias altas me parecem ter mais clareza especialmente com o potenciômetro de volume nas posições abaixo do 10.

 

Até a próxima !

 

Referência: Blog Seymour Duncan (www.seymourduncan.com)

Joao Brandao

About Joao Brandao

Luthier formado pela Escola B&H Luthieria de São Paulo. Representante local das marcas Emerson Custom e The Rock Slide by Songhurst Guitars dos Estados Unidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *